Neste dia 1º  de junho comemora-se  o Dia Mundial do Leite, matéria prima extremamente rica, cujos derivados se mantêm sempre presentes na mesa dos brasileiros, seja para acompanhar o cafezinho de todos os dias, ou para um momento mais sofisticado, como um jantar com consumo de um fondue de queijos. 

Devido ao grande mercado de consumo,  as Indústrias de laticínios são as que mais crescem e geram emprego no Brasil. Que o Cientista de Alimentos atue neste setor nas áreas de produção, controle de qualidade, desenvolvimentos de novos produtos, entre outros, não é novidade para ninguém. Mas, e a atuação destes profissionais nas empresas de Software para laticínios?

Um setor com tanta demanda de produção e vendas, faz-se necessário um excelente controle de todos os processos, desde a coleta do leite junto ao produtor rural, até a chegada do produto à mesa de quem o consome, garantindo a qualidade e integridade do alimento. E é aí que entram os softwares. Seja ele um Sistema de computador ou um aplicativo de celular, atualmente, não se consegue fazer tudo o que é necessário para o controle de qualidade que é exigido pelos órgãos fiscalizadores, sem que utilize-se um.

As vantagens de se utilizar um sistema vão além do que se pode calcular: ganho de produtividade, produção controlada e eficiente, controle de insumos, rastreabilidade de produtos facilitada, pagamento do produtor por qualidade do leite, seguridade das informações por estarem em um computador e não em um papel, diminuição de erros através do maior controle das não conformidades, entre outros.

Mas onde o Cientista de Alimentos atua durante a criação de um sistema ou aplicativo?

Os programadores de sistemas têm toda a experiência, agilidade e competência para criá-los, sabem tudo sobre códigos fonte, linguagem de máquina e gerenciamento de recursos,  mas aposto com vocês que eles nunca ou quase nunca pisaram numa indústria de laticínios. E é aí que os Cientistas de Alimentos entram.

Para um sistema ser bom, ele tem que ser realista e customizado, fazendo com que cada empresa utilize-o da melhor forma, dentro de sua realidade. O mesmo se impõe a um aplicativo. E para que isso aconteça, é necessária a experiência de alguém que viveu e que passou pelas dificuldades de chão de fábrica, que saiba a legislação e que esteja sempre atualizado quanto a qualquer novidade nas normas e exigências de órgãos fiscalizadores, e que saiba passar tudo isso para o programador. 

A atuação do Cientista de Alimentos numa empresa de software para laticínios consiste em:

  • Orientar os programadores, quanto ao que é necessário conter em um sistema e/ou aplicativo;
  • Pensar em soluções e melhorias de acordo com a realidade de cada cliente, juntamente com as exigências dos órgãos fiscalizadores competentes, fazendo com que o sistema não seja “engessado” e atenda o maior número de indústrias possíveis;
  • Atuar no setor de vendas, demonstrando a necessidade e facilidade de se ter um sistema ou aplicativo, falando a mesma língua de quem vive a realidade leiteira;
  • Atuar como Consultor, desenvolvendo documentos, criando novos produtos, trazendo soluções para melhoria da qualidade, integrando tudo isso ao sistema. 

Assim como o setor leiteiro é amplo, existe um enorme campo multidisciplinar de atuação do Cientista de Alimentos, podendo ele focar na composição dos alimentos, transformações industriais, até a comercialização e chegada ao consumidor, buscando sempre dar o seu melhor e se reinventar, sem nunca abrir mão da ética e princípios da profissão.

Sobre a Autora

Isabela Carneiro de Oliveira é Cientista de Alimentos formada pela UFOP, fez pós-graduação em Vigilância Sanitária e Qualidade dos Alimentos pela faculdade Unyleya. Atua como consultora técnica em indústrias de laticínios, empresas de software e alambiques na região da Zona da Mata Mineira.

No responses yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *