Já imaginou você, cientista de alimentos trabalhando com marketing digital e no setor de Frutas, Legumes e Verduras (FLV)?

Pois é, essa também é uma área onde podemos atuar.

Hoje vou contar para você um pouco sobre o mundo do marketing digital e de que maneira o cientista de alimentos pode colaborar no setor de FLV.

Nesse blog post você vai encontrar:

  • Como o cientista de alimentos pode atuar nessa área
  • Trabalhos na área de marketing para o setor de FLV

Para que você entenda um pouco melhor sobre a minha pesquisa vou te contar um dado: você sabia que o setor de frutas, legumes e verduras é o campeão em desperdícios? Cerca de 6% sobre o faturamento bruto dos supermercados. 

É o setor que mais gera desperdícios aos supermercados e grande parte dele pode ser controlado aplicando boas práticas de fabricação e a refrigeração adequada a cada tipo de vegetal.

Te convido a continuar lendo esse blog post e aprender um pouco mais sobre como podemos ajudar a modificar essa realidade!

Como o cientista de alimentos pode atuar no Marketing

O Marketing digital é o conjunto de estratégias de comunicação que uma empresa faz para que o seu público alvo tome conhecimento de seus produtos, serviços e/ou suas soluções, como cientista de alimentos você tem como objetivo passar a informação correta sobre determinado produto alimentício ou sobre alguma solução na área de alimentos e alavancar as vendas da empresa onde você atua. 

Importante ressaltar, que a forma de comunicação aqui é diferente de um artigo ou TCC, as informações e conteúdos devem ser estudados separadamente para cada empresa, pois cada uma tem uma persona diferente, que prefere consumir o conteúdo em formatos diferentes.

Por tanto, deixo aqui uma dica: nada de palavras “rebuscadas” que só quem é da área entende, tente transformar o seu conhecimento e tudo o que você aprendeu sobre aquele produto e/ou solução em algo simples e que atenda a demanda da sua persona.

Vamos a um exemplo prático?

Você trabalha em uma indústria de alimentos que fabrica barrinhas de cereais, por exemplo, como cientista de alimentos você pode criar comunicações com a sua persona que envolvam os benefícios dessas barrinhas, qual o impacto delas na saúde do consumidor ou criar campanhas que aliam atividades físicas e a importância do consumo das barras de cereais, por exemplo, entre outras comunicações e informações que você pode gerar através de conteúdos.

É fundamental que a equipe de marketing seja multidisciplinar, principalmente no contexto alimentar, em que a informação errada pode causar prejuízos à saúde do consumidor.

Agora, se você trabalha para uma empresa que oferece soluções para a cadeia produtiva de alimentos, no formato “business to business” (B2B), como por exemplo, consultoria, você pode fazer campanhas sobre legislações vigentes para área na qual sua empresa atua, pode criar conteúdos para engajar sua persona e posicionar sua empresa como especialista naquele assunto. 

É uma área muito bacana e você precisa estar constantemente atualizado, tanto nas tendências de marketing quanto nas novidades e inovações da área de alimentos.

O marketing digital é uma área em constante crescimento e a cada dia que passa você aprende algo novo, por isso é uma área em que você precisa “pensar fora da caixa”, para trazer novidades e inovações para a empresa onde você for atuar.

Trabalhos na área de marketing digital para o setor de FLV

Você sabia que o cientista de alimentos também pode atuar na criação de cursos EAD? Esse foi o caso onde junto com uma equipe multidisciplinar construi um curso para melhorar a durabilidade dos alimentos vegetais na gôndola dos supermercados. 

2021 é o ano das Frutas, Legumes e Verduras (FLV), e nada melhor para comemorar esse momento aliando o conhecimento do cientista de alimentos ao visual merchandising na gôndola do supermercado, não é mesmo?

Para conduzir esse curso, pesquisei várias formas de aliar qualidade, durabilidade e layout de gôndola. Por trás do lançamento de um curso há muitas outras atividades envolvidas, como:

  • Pesquisas;
  • Estudos de persona;
  • Gerenciamento dos entregáveis;
  • Criação do conteúdo;
  • Automação;
  • Campanha de lançamento entre outras atividades.

Em todas essas etapas o cientista de alimentos pode fazer parte ou colaborar. Mas principalmente no desenvolvimento do conteúdo, neste curso o grande destaque é como o manuseio adequado, a refrigeração correta e a aplicação do layout (exposição do hortifrúti) pode ajudar na durabilidade dos alimentos vegetais in natura, e, nesse caso, quem pode ajudar é o cientista de alimentos, com o seu conhecimento em cadeia de frio aplicado ao shelf life dos alimentos.

Nele destaquei alguns tipos de exposição do hotifrúti, como a exposição agressiva e a exposição controlada, você pode ver um pouco aqui, e como tornar o ponto de venda do setor de FLV atrativo usando a qualidade dos seus alimentos a favor do seu negócio, nesse caso utilizando inspeções de loja e visual merchandising ao seu favor.

Nesse blog post fiz um resumo sobre as atividades que um cientista de alimentos pode desempenhar na área do marketing de uma empresa, se quiser saber mais informações sobre o marketing, automação dos processos, cursos EAD e outros trabalhos pode vir conversar comigo no LinkedIn.

Sobre a autora

Gabriela Macedo Lemos – Graduanda em Ciência e Tecnologia de Alimentos pela UFSC, especialista em marketing e conteúdo.

LINKEDIN

2 Responses

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *