A Indústria Cervejeira e a participação do Cientista de Alimentos

Dia Internacional da Cerveja: da produção à harmonização sob o olhar de uma Cientista

Qual a atuação do Cientista de Alimentos neste setor tão importante da Economia? Abaixo vamos acompanhar o depoimento de quem atua nesta área na voz de Eliza Bottacine Dalvi do IFES.

Meu interesse pelo mundo das cervejas artesanais veio antes mesmo do curso de Ciência e Tecnologia de Alimentos. Tudo começou ainda no Ensino Médio, durante o Curso Técnico em Agroindústria no Instituto Federal do Espírito Santo – Campus Venda Nova do Imigrante, local onde eu me formaria Cientista alguns anos depois. Foi lá que tive o primeiro contato com a produção de cerveja na teoria e prática. A partir daí, a curiosidade foi surgindo, na época assinava um clube de cervejas, então provava muita coisa diferente e lia bastante sobre o assunto.

Os experimentos cervejeiros e a formação como Cientista

Cada vez mais interessada no assunto e depois de conhecer outros produtores caseiros e cervejeiros profissionais, iniciei meu caminho na produção de cervejas. Foi no ano de 2017 em que comecei a produzir e testar diferentes estilos de cerveja, compartilhando o resultado com meus amigos e familiares. Com isso as pessoas de fora do meu ciclo próximo foram conhecendo e querendo provar o que eu estava fazendo. Foi então que criei a Aurora!

No mesmo ano em que comecei minha produção, fiz o curso de Beer Sommelière da ESCM- Escola Superior de Cerveja e Malte, em Vitória (ES), e alguns cursos de produção de cervejas artesanais. Muitas das oportunidades que tive estiveram ligadas ao curso de Ciência e Tecnologia de Alimentos e ao IFES. Durante a graduação tive a oportunidade de cursar e ministrar cursos de produção, harmonização e realizar pesquisas científicas com foco em cerveja, que foi inclusive tema do meu trabalho de conclusão de curso.

A decisão de fazer do hobby, uma profissão

Na reta final da faculdade, focando na vida profissional, tomei a decisão de transformar meu hobby em negócio. Meus pais são proprietários de uma pousada e restaurante em Venda Nova do Imigrante, região das Montanhas Capixabas, onde recebemos muitos turistas, e a ideia da construção da cervejaria veio para agregar ainda mais ao empreendimento. Mesmo não havendo ninguém da área de bebidas na família, todos sempre apoiaram muito o meu interesse e desejo de expandir minha visão.

A identidade da Aurora ainda está em construção, desde o início busco criar receitas fora do óbvio, que surpreendam meus clientes. Além de produzir cerveja de qualidade, objetivamos proporcionar experiências sensoriais novas.

A experiência como mulher no mundo cervejeiro

Minha experiência no mercado cervejeiro sempre foi muito positiva, fiz bons amigos que me acolheram, aconselharam e ajudaram. Nunca me senti inferior por ser mulher, pelo contrário, acho que, hoje, quando uma mulher empreende em um ramo majoritariamente masculino, acaba despertando a curiosidade das pessoas, que querem conhecer melhor seu trabalho. No mercado cervejeiro não é diferente, sinto que eu e outras mulheres temos recebido atenção e estamos sendo muito incentivadas.

Mas entendo que minha experiência não reflete toda a realidade. Mulheres ainda sofrem muitos tipos de preconceito, são alvos de comentários desagradáveis e tem dificuldade de se alçarem a posições hierarquicamente mais elevadas, mesmo sendo extremamente qualificadas.

O futuro da Aurora e da cerveja no Brasil 

O mercado cervejeiro artesanal vem crescendo expressivamente no Brasil, somos um país jovem com muito a ser desenvolvido e explorado. O que buscamos na Aurora é nos aventurar e entregar sempre o novo.

Considero minha formação como Cientista de Alimentos meu diferencial, todo o conhecimento técnico aprendido na graduação, a curiosidade e novas ideias contribuem para desenvolver cada vez mais a Aurora.

Sobre a Autora

Eliza Bottacine Dalvi Sommelière de Cervejas

Eliza Bottacine Dalvi é Técnica em Agroindústria pelo IFES campus Venda Nova do Imigrante e bacharel em Ciência e Tecnologia de Alimentos pela mesma instituição. Sommelière de Cervejas pela Escola Superior de Cerveja e Malte e Doemens Academy. Fundadora e cervejeira da Aurora Cervejaria.

No responses yet

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *